Natação traz benefícios para a saúde dos cães

Via: G1

Segundo médico veterinário, a maioria dos cães podem aprender a nadar. No entanto, fazer um check-up do animal é fundamental antes de iniciar o aprendizado.

A natação traz excelentes benefícios para a saúde dos cães. Alguns já demonstram afinidade pela prática, tendo interesse pela água e não aparentando medo ao se aproximar de piscinas, lago ou mar. Mas, como em toda atividade física, é sempre importante levar o animal para um check-up veterinário.

Segundo Aldo Macellaro Júnior, médico veterinário e fundador de um hotel fazenda para cães em Itu (SP), a maioria dos cães podem aprender a nadar. No entanto, eles devem estar com a vacinação e a vermifugação em dia. A prática só não é recomendada para animais debilitados, cardíacos e com problemas de pele.

Entre os benefícios da atividade estão grande gasto energético, menor impacto nas articulações e nos ligamentos do animal, condicionamento cardio-respiratório, bem-estar e relaxamento do animal.

O veterinário também explica que certas raças, como o pug e o boxer, têm dificuldade para respirar devido ao formato do corpo. Isso não os impede de aprender a nadar, porém há a necessidade de uma observação especial e atenção para evitar a exaustão física.

O importante, de acordo com ele, é que o animal tenha uma boa apresentação da atividade aquática, com o auxílio de um profissional. Caso contrário, ele pode desenvolver fobias.

“Os pets devem entrar na piscina, aos poucos, sem forçá-los. No treinamento, fazemos com que eles se acostumem com a água na parte rasa da piscina, levando-os para perto da borda, molhando o focinho e o corpo. Tudo é feito com muita calma para evitar traumas ou associações negativas”, explica Aldo.

Ainda segundo o veterinário, só quando o cão já se sente mais seguro é que ele é levado para dentro da piscina, porém com o uso de um colete flutuador próprio para cães.

“No início, a tendência é que eles mexam apenas as patas dianteiras e afundem as de trás. O colete ajuda na sustentação do corpo, e faz com que os cães entendam que o sucesso da natação acontece com a boa movimentação dos membros posteriores”, completa.

Cuidados

O animal inexperiente nunca deve ser jogado dentro da água e os tutores nunca devem deixar o cão sozinho na piscina, mesmo que ele saiba nadar. Também é importante a proteção do canal auditivo dos cães com algodão parafinado. Outra dica é usar uma coleira peitoral para ter mais controle sobre os movimentos do bichinho. “Jamais use um enforcador, pois o cão pode se enroscar e se afogar ao mergulhar”, ressalta Aldo.

Já depois da natação, é fundamental secar bem, com algodão ou gaze, os ouvidos do animal, pois as orelhas dos cães são bastante sensíveis. A umidade, aliado ao calor, pode favorecer a proliferação de fungos e bactérias no canal auditivo.

Outro cuidado é dar uma boa ducha de água doce para retirar o cloro e evitar possíveis alergias. Por último, o tutor deve secar bem o animal para não deixar a pele e os pêlos úmidos.

Fonte: G1 | www.g1.globo.com

Postado por: Srd.Dog

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Entre em Contato

Nome*

Telefone*

E-mail*